Estado pessoal.

Não me chames.

Eu gosto de vozes afiadas assim como gosto de um abraço sincero. Não gosto da dor mas ela é precisa.

Não gosto de não gostar das coisas nem de te sentir falso. Quero olhar para ti e sentir o desejo que sentes pelas criaturas que amas.

Mundo, estás virado do avesso e já to disse. As palavras são para ser pensadas e não ditas ao acaso. Os sentimentos são para ter em conta e não para pôr ao lado, como tanta gente faz.

Não gosto destas coisas e tenho direito a dizê-lo. De nada valem poemas, imagens, contos e canções se não forem sentidos.

De nada vale o amor se não for  louco. De nada vale a vida se não a aproveitarmos. De nada valemos nós próprios se não nos respeitarmos.

publicado por Rita às 18:46 | link do post | comentar