(Des)amores.

Sinto que vou voltar a cada minuto, a cada passo que penso em ti. Quero que me abraces debaixo dos lençóis e me sussures um "amo-te" descaído da tua boca sem que tu dês conta. Arrepio-me a cada toque teu. O meu corpo torna-se rígido, quente e oiço cada suspiro que damos. Beija-me e eu prometo-te, meu amor, que vou retribuir. Não tenhas medo das palavras nem da força da minha paixão. As palavras não valem mais do que nós nem do que as gentes. Ama-me por todas as coisas que outrora foste, por todas as coisas que ainda iremos ser.

A cada passo que dou, tanto te desejo como não. A cada minuto descobro que não vai ser como pensávamos.

publicado por Rita às 22:36 | link do post | comentar