Nunca serás tu.

"Encara a minha escrita como uma obra de Picasso. Sabes, há muitas perspectivas. E é isso que eu tento reproduzir quando escrevo. Tudo num só texto como tudo numa só tela. Nunca vai ser suficiente e as palavras nunca serão escassas. Às vezes desejo que sejam muito mais do que palavras, desejo que se transformem em acções e atitudes mas às vezes tu não estás e eu fico-me pelas palavras. Palavras essas que um dia serão recordadas e relidas. Um dia alguém vai ler e vai compreender. (...) No fundo, essa pessoa nunca será quem eu estou a espera."

 

 

publicado por Rita às 15:10 | link do post | comentar