Quando me perguntaram se eu tinha medo, eu disse que não. E não tinha. Se morresse, era porque assim devia ser ou porque são as coisas da vida, dizem vocês. Tiram-nos todos o livre arbítrio e toda a liberdade. Não devia ser assim, porque nenhuma pobre criatura tem por castigo morrer da maneira que não quer. Foi a vida, o destino ou Deus. São as razões para a morte. Se eu escolhesse, morreria em ti e por ti. Como teve de ser assim, perdi-te pelo caminho, deixei-te viver e fui morrer onde não quis.

publicado por Rita às 19:56 | link do post | comentar