Vontades.

Hoje apetece-me a destruição e estou sedenta de ti. Vai-te embora daqui, deixa-me em paz. 
Não te odeio com todas as minha forças, limito-me a passar-te ao lado. Estou exausta das crenças não justificadas, cansada de corpos mortos. Segue a rua iluminada pelos candeeiros a cair de velhos e deixa-me aqui. A noite sempre foi mais bonita para fazermos o que realmente queremos. Sempre nos libertou de preconceitos e de medos. Agora não há passos de voltas, não há mais caminhos que te tragam para trás. 
Destróiem-se as vidas, as pessoas e os sonhos do Mundo. Sempre te disse que seria melhor não me teres, não me desejares tanto.
Estou sedenta de ti...e apodreço, entretanto.

 

 

"Mais um dia para me fazer sofrer.(...)Eu descanso e o Mundo já lá vai."

publicado por Rita às 14:27 | link do post | comentar