Eles não sabem que tu és meu e que eu sou tua. Desconhecem a cor do teu sorriso quando ocultas as tristezas da tua matéria não-morta.

Dá-te a mim, hoje e todos os dias da tua vida. Despe esse pijama azul-claro que nada tem a ver contigo e entrega-te ao meu corpo que soa o teu nome.

Careco do teu desejo animal e quero-te tanto em tão pouco.

 Somos nós, hoje. Como deve sempre ser. 

publicado por Rita às 23:56 | link do post | comentar